Você sabia que no dia 31 de agosto de 2018, os trabalhadores de instituições financeiras do Brasil podem perder uma série de direitos? Gratificações, PLR, vale alimentação e muitos outros.

Isso acontece porque a nova Lei trabalhista obriga os sindicatos a renegociar com os banqueiros todos os direitos que estão nos acordos coletivos. E o pior. Não há nenhuma sinalização de como a Febraban e os bancos irão tratar o tema.

Essa Campanha Salarial é uma das mais importantes da categoria bancária, pois, é a transição da antiga CLT e as novas regras, portanto, é preciso alertar toda a categoria sobre a ameaça às conquistas dos bancários a partir da alteração na CLT. Para virar esse jogo, mais do que nunca, é necessário ter sindicatos fortes e representativos para ter força nas mesas de negociações .

Nesse ano a categoria terá temas como:terceirização, abertura final de semana, jornada de 6 horas, ultratividade, contrato intermitente dentre outras alterações à partir da Lei 13.467, de 13 de julho de 2017,  para discutir com os Bancos, é de extrema importância lembrar que vale o negociado sobre o legislado, dessa forma deve haver o empenho de todos pela manutenção e avanço dos direitos estabelecidos em Convenção e Acordos Coletivos.

Importante destacar aos bancários que os direitos existentes não foram dados por espontaneidade pelos banqueiros, mas, sim conquistados pela categoria.

COMO CONQUISTAMOS A PLR

No dia 04 de outubro de 1995, quase todos os sindicatos de bancários do Brasil realizaram assembleias e aprovaram a proposta de Convenção Coletiva de Trabalho, que obrigava os banqueiros a pagar uma PLR de 72% do salário mensal mais R$ 200,00. Com o retrocesso na CLT, este direito tem prazo de validade: 31 DE AGOSTO. Depois dessa data, só a luta dos bancários é que podem defender a continuidade deste direito.

FONTE: Fetrafi-RS / SinBancarios – RS (foto) / SEEB SBS-SC (editado/parcial) 

Comentários