Sou MEI e agora?

Empreender exige muita responsabilidade, o MEI precisa seguir algumas burocracias fiscais. Se as obrigações não forem realizadas de forma adequada o empreendedor pode perder o CNPJ e os benefícios.

#1 Guia DAS

DAS MEI é a única guia de imposto paga pelo Microempreendedor Individual. É por meio dela que são pagos ISS, ICMS, além da contribuição com o INSS.

VALORES PARA 2020:

MEIs Atividade INSS ICMS/ISS Total
Comércio e Industria – ICMS R$ 52,25 R$ 1,00 R$ 53,25
Serviços – ISS R$ 52,25 R$ 5,00 R$ 57,25
Comércio e Serviços – ICMS e ISS R$ 52,25 R$ 6,00 R$ 58,25

#2 Relatório mensal das receitas

Um MEI não é obrigado contratar um contador ou manter a contabilidade formal. Também não é preciso ter livro caixa. No entanto, é necessário deverá registrar, mensalmente, em formulário simplificado, o total das suas receitas, chamado de relatório mensal.

#3 Entregar Declaração Anual do Faturamento

Microempreendedor tem a obrigação de declarar o valor do faturamento bruto do ano anterior, por meio da Declaração Anual (DASN-SIMEI). Ela pode ser preenchida pelo próprio MEI. Atenção, o envio é feito somente pela internet e de forma gratuita no Portal do Empreendedor. A Declaração Anual de Faturamento deve ser enviada todos os anos, até o dia 31 de maio.

O que é MEI?

A atividade do microempreendedor individual foi regularizada em 2008, através da Lei Complementar 128/08. Essa LC conferiu uma série de condições especiais para que o microempresário possa regularizar sua atuação.

Ele, assim como outros tipos de companhias, também pode optar pelo Simples Nacional. Só que, ao escolher esse regime tributário, ele ainda conta com o benefício de não precisar pagar os tributos federais (IRPJ, PIS, Cofins, IPI e CSLL) . Precisa pagar apenas o INSS, ICMS, ISS e, caso tenha um funcionário, os impostos relacionados a ele.

FONTE: MONEYINVEST, 03/03/2020.

Comentários