Além da pretensão de redução dos direitos já anunciados, em reunião realizada no final desta segunda-feira (24), o Banco do Brasil informou que pretende reduzir significativamente também a parcela linear do módulo BB, de 4% (distribuído no Acordo Coletivo revisando), para 2% do lucro líquido.

A proposta apresentada pelo Banco do Brasil representa uma redução maior do que as perdas propostas pela FENABAN, que já é demasiadamente aviltante.

O programa já prevê a distribuição proporcional ao lucro apurado, não sendo razoável a redução dos percentuais de participação.

Mais injusto ainda é a redução de 50% da parcela linear, gerando maior impacto negativo aos escriturários e caixas.

A proposta de PLR hoje apresentada só agrava ainda mais as ameaças de retirada de direitos que vêm sendo anunciadas pelo Banco, avalia Gilberto Vieira.

E não se diga que o Banco do Brasil não teria condições de manter os direitos hoje praticados e atender às reivindicações dos funcionários, que sempre alcançam e ultrapassam as metas traçadas pela administração, apesar das adversidades muitas vezes enfrentadas.

   

Comentários